Como funciona?

fasesMIES

A metodologia ES+ foi desenvolvida pelo IES- Social Business School com o propósito de identificar iniciativas de elevado potencial de empreendedorismo social, considerando empreendedorismo social como um processo de procura de soluções inovadoras e sustentáveis para a resolução de problemas importantes e negligenciados da sociedade . Distingue-se por ser uma metodologia de proximidade, envolvendo um contacto muito próximo com cada região, através de entrevistas a pessoas locais e inquéritos aprofundados a iniciativas identificadas.

 

 

Desenvolvida pela equipa de investigadores do IES-Social Business School, com o apoio de um Conselho Cientifico representado por professores do INSEAD, ISCTE, Universidade Nova, Universidade Católica do Porto entre outras, a metodologia ES+ é o primeiro passo para o cumprimento da missão do IES-Social Business School - inspirar e capacitar para um mundo melhor, através do empreendedorismo social. Como tal, o propósito da metodologia de pesquisa ES+ vai além da identificação e reconhecimento de soluções inovadoras e sustentáveis. O valor da aplicação da metodologia reside na sua capacidade de identificar potencialidades, oportunidades, necessidades e desafios das iniciativas de empreendedorismo social, permitindo também caraterizar o ecossistema onde estão inseridas. Com base nesta informação do terreno é possível desenvolver um plano de capacitação consistente, adaptado à realidade local, que visa potenciar o impacto destas iniciativas e, inerentemente, do ecossistema de empreendedorismo social onde se inserem.

A História da Metodologia ES+

Em Setembro de 2008 foi desenvolvido pelo IES – Social Business School no Concelho de Cascais um projeto inovador de investigação-ação denominado ES+, com a missão de identificar e apoiar iniciativas de empreendedorismo social a nível local, que contou com o apoio do Instituto de Emprego e Formação Profissional (IEFP) e a Câmara Municipal de Cascais. Em Junho de 2009, foram reconhecidos os primeiros cinco ES+ Cascais, iniciativas estas que se destacaram pelo seu elevado potencial de empreendedorismo impacto social.

Depois da experiência bem-sucedida em Cascais, a equipa do IES-Social Business School rumou a Vila Real em 2010, tendo a oportunidade de aplicar a metodologia ES+ num contexto rural para a identificação de projetos inovadores e sustentáveis na resolução de problemas sociais e ambientais, com elevado potencial de impacto social. Contou com a parceria do Governo Civil de Vila Real, da Fundação EDP e das Câmaras Municipais de Alijó, Boticas, Mondim de Basto, Montalegre, Murça, Ribeira de Pena e Sabrosa e levou à identificação de mais 5 ES+.

Em Janeiro de 2011 teve inicio a implementação da metodologia ES+ no município do Porto, em parceria com a Fundação Porto Social, Câmara Municipal do Porto, Universidade do Porto, UDIPSS e GAS Porto. Em Abril de 2012 celebrou-se no Rivoli Teatro Municipal, a cerimónia de apresentação pública de reconhecimento dos 29 ES+Porto, num total de 321 iniciativas identificadas no município pela metodologia ES+.

Após quatro anos de experiência acumulada na aplicação da metodologia ES+, e com o reconhecimento internacional pelos painéis de boas práticas da Rede Académica Europeia de Economia Social (EMES) e pelo Parlamento e Comissão Europeia, surge a ambição de mapear iniciativas de elevado potencial de inovação e empreendedorismo social em todo o território nacional e nos países da CPLP (Comunidade de Países de Língua Portuguesa). O sonho concretiza-se, e em 2012, nasce o MIES – Mapa de Inovação e Empreendedorismo Social que, através da aplicação da metodologia de pesquisa ES+, ao longo de dois anos, identificou iniciativas de elevado potencial de empreendedorismo social no Norte, Alentejo e Centro do País. No final do mesmo ano de 2012, concretiza-se a primeira réplica internacional da metodologia ES+ em Maputo, Moçambique, num total de 13 iniciativas identificadas como ES+ Maputo.

Critérios de seleção da Metodologia ES+

Os critérios de seleção de iniciativas de elevado potencial de empreendedorismo social baseiam-se em cinco caraterísticas fundamentais:

  • Uma forte Missão Social – resolvem-se problemas sociais importantes e negligenciados da sociedade…
  • Potencial de Impacto - transformando mercados, comportamentos, políticas públicas e as dinâmicas na sociedade e/ou no ambiente.
  • Capacidade de Empoderamento Local e Inclusão Social - envolvendo e capacitando os beneficiários e outras partes interessadas.
  • Potencial de Inovação e de forma Sustentável … através de novas soluções baseadas em modelos de funcionamento eficientes e viáveis que desafiam a visão tradicional e que permitem resolver problemas da sociedade com uma eficácia superior relativamente às soluções alternativas existentes…
  • Potencial de Crescimento - …com a preocupação e capacidade de escalar a solução e/ou se disseminar através de replicação.

Implementação da Metodologia

De forma breve, a metodologia ES+ tem quatro fases chave:

Fase I | Contacto e Entrevistas Presenciais a Observadores Privilegiados: Consideram-se Observadores Privilegiados todos aqueles que, pela sua experiência profissional ou pessoal, tenham conhecimento ou contacto com iniciativas que promovam transformação social no âmbito geográfico do projeto. Os objetivos específicos desta fase são a identificação de iniciativas de inovação e empreendedorismo social com potencial de enquadramento nos critérios de pesquisa e a identificação de Observadores Privilegiados pelos próprios participantes da pesquisa;

Fase II | Telefonemas de Despiste aos Líderes das Iniciativas Identificadas: nesta fase pretende-se recolher informação detalhada sobre as iniciativas identificadas na Fase I, em relação aos critérios da pesquisa, de forma a ser possível obter mais informação para o processo de pré-seleção para a fase III;

Fase III | Inquérito Profundo aos Líderes das Iniciativas Selecionadas: é objetivo desta fase conhecer os empreendedores responsáveis pelas iniciativas selecionadas, recolhendo presencialmente informação detalhada sobre a história, modelo de funcionamento e principais potencialidades e necessidades sentidas por parte das iniciativas;

Fase IV | Apresentação ao Conselho Académico e Científico (CAC) e Seleção das Iniciativas ES+: de forma a garantir a imparcialidade e consistência na seleção das iniciativas ES+, as iniciativas identificadas na fase III são apresentadas individualmente a cada um dos membros do CAC, que é composto por investigadores nacionais e internacionais de universidades de referência, sendo as iniciativas ES+ selecionadas com base na soma dos votos dos membros do CAC assegurando uma maioria de dois votos para uma iniciativa se qualificar como ES+ (ou seja procurando ter pelo menos três votos positivos e menos de dois votos negativos).

Após a seleção das iniciativas é realizado um evento de apresentação pública de celebração e reconhecimento das iniciativas ES+, as quais poderão depois ser beneficiárias de ações de capacitação, acompanhamento e criação de rede de partilha de experiências e desafios.

fasesMIES

Resultados Esperados

A aplicação da metodologia ES+ permite:

  • Maior conhecimento e caraterização do ecossistema local de inovação e empreendedorismo social, contribuindo para o desenho de um plano de capacitação para potenciar as iniciativas e respetivo ecossistema;
  • Maior sensibilização de todas as pessoas envolvidas para a temática do empreendedorismo social, deixando uma porta aberta para as iniciativas que queiram estar mais envolvidas e motivadas para esta área;
  • Reconhecimento do trabalho e potencial transformador de projetos de base local;
  • Aumento da visibilidade e da exposição pública das iniciativas ES+.
Está em: Entrada O MIES Como funciona?
 
 
Está em: Entrada O MIES Como funciona?
Promotores:
IESIPAV
Financiamento:
Financiamento
Co-financiamento:
parceiros 03 01 2Fundação EDP
Apoios:
IAPMEI
Distinção:
+e+i